Existe razão no amor

Na correria do dia a dia, entre as tarefas que precisamos cumprir com excelência e os horários apertados para dar atenção à família, é fundamental manter a chama acesa do amor e, para isso, basta usar a razão para fortalecer o relacionamento

Se até uma parte da famosa ponte parisiense cedeu ao peso dos cadeados do amor, imagine então o tamanho do desafio para manter um relacionamento saudável e duradouro?

Com a pressão do dia a dia, tanto em relação ao casal, quanto em relação as outras interferências externas, como o trabalho, as finanças, a educação dos filhos, a falta de tempo e outros impropérios que podem propiciar o declínio do amor, é preciso estar atento às ações que nos impedem de compreender e respeitar quem está ao nosso lado.

A convivência a dois é uma arte, principalmente na compreensão e negociação diária para conservar os sentimentos, o respeito, a cumplicidade, a amizade e o companheirismo. E não existem cartilhas que nos ensinem a manter a chama do amor acesa.

Todavia, perceber algumas ações é fundamental para eliminar os comportamentos que danificam qualquer relacionamento, não só entre enamorados, mas também entre colegas de profissão, familiares e amigos.

Quantas vezes você se chateou quando a sua cara metade potencializou pequenos erros que você cometeu ao invés de enaltecer atitudes que você tomou e que foram essenciais para solidificar essa união, como aquele café que você, sem querer, derrubou na toalha limpinha da mesa, iniciando uma discussão sem fim?

Talvez, você também esteja agindo da mesma forma ou até de maneira pior, por exemplo, deixando de se alegrar com o pouco tempo em que estão juntos porque a outra parte resolveu escolher um filme que não é o que você gostaria de assistir, ou deixar de sorrir quando o outro brincar, mesmo após uma pequena discussão, só para deixar claro que você se chateou e não está a fim de aceitar os pedidos de desculpas.

Se somar todas as suas pequenas condutas de negação e descontentamento com as atitudes que desaprova da outra parte, certamente você chegará a um resultado preocupante, do qual fugimos incessantemente: a separação.

Então, atente-se! Verifique se você se enquadra em um dos quadros abaixo. São atitudes, altamente vulneráveis e que, não identificados ou transformados, resultam na desunião ou contínua frustração entre o casal, conforme estudo realizado pelo Dr. John M. Gottman, terapeuta americano considerado como um dos mais influentes especialista no assunto que, em parceria com sua esposa Julie, fundou o Instituto Gottman, cujo objetivo é criar e manter a saúde nos relacionamentos.
Defensividade – Geralmente, a defensividade aparece quando você tenta se proteger daquilo que considera ser um ataque, ao invés de procurar entender o que o parceiro ou parceira está dizendo. Frases como “sou só eu que faço isso? E você?”, “como é que você tem coragem de dizer isso?” ou “você acha que eu faço tudo errado, então eu não devo servir para nada”, indica que a pessoa está adotando uma postura defensiva, quando não vitimada.

Posturas defensivas bloqueiam a comunicação, reforçam a sensação de incompreensão e impedem a resolução dos problemas.

Dica: Baixar a guarda, ouvir o que o outro está dizendo, admitir sua responsabilidade sobre aquele ou outros conflitos é o antídoto inicial para neutralizar a batalha entre o casal.

Obstrução – A pessoa fica completamente fechada em si mesma e recusa-se a interagir com o outro, impedindo qualquer possibilidade de diálogo ou compreensão. São pessoas que, geralmente, saem andando no meio da discussão ou que não esboçam nenhuma reação, fazendo com que a outra parte tenha a nítida sensação de que está falando sozinha. Quanto mais um insiste, mais o outro se fecha, gerando um esgotamento para as duas partes.

Dica: Nesse caso, a pessoa pode sinalizar que está entendendo o que o outro diz, todavia, não está em condições de conversar naquele momento, comprometendo-se em retomar o assunto em outra ocasião.

Criticismo – É o ato de criticar ou julgar constantemente alguém. Essa atitude acaba transformando um problema em uma agressão à identidade da outra parte. Normalmente, esse comportamento é acompanhado de expressões generalistas para enfatizar algo negativo do parceiro ou parceira. Quando um deixa a entender que existe algo de errado no outro, como um defeito em sua personalidade, faz com que a parte atingida perca a vontade de estar ao lado de quem tenta ferir sua autoestima.

Dica: Repense as suas palavras, ao invés de julgar e ferir o outro com uma frase “você não ajuda com as crianças” ou “você gasta todo nosso dinheiro com futilidades”, que tal utilizar expressões construtivas e motivadoras, fazendo despertar novas ações do parceiro ou parceira como “podemos dividir nossas tarefas com as crianças de modo que não prejudique seus outros afazeres” ou “tudo bem se pudermos juntar dinheiro para realizar nossos projetos futuros, mas para isso precisaremos rever alguns de nossos consumos?”.

Desprezo – O desamor pode ser expressado por meio de ironias, desautorizações e expressões de dúvidas sobre a capacidade do parceiro/parceira. Muitas vezes um menospreza, desacredita e ofende o outro até mesmo na frente de outras pessoas. O desprezo destrói a admiração, o carinho e o respeito entre o casal e ainda atinge a todos, principalmente os filhos desta união.

Dica: Valorize e aprecie quem está ao seu lado. Lembre-se, sempre, de tudo o que fez você escolher e amar aquela pessoa. Enalteça as qualidades mais positivas dele ou dela. Com isso você resgatará o respeito e admiração que você sente pelo escolhido ou escolhida.

Você se identificou com alguma dessas atitudes? Então, comece hoje a mudar suas ações!

Conte, também, com o auxílio do processo de coaching que, de forma rápida e assertiva, auxilia na identificação dos comportamentos que impedem, em todos os âmbitos, a prosperidade dos casais. Com técnicas, cientificamente comprovadas, as pessoas despertam atitudes essenciais para manter e direcionar pessoas que desejam sucesso, inclusive na vida a dois. O processo, sem sombra de dúvidas, desenvolve as soluções para fortalecer o que há de mais valioso na sua vida: o amor.

Quer saber mais? Clique aqui e conheça o recurso transformador que desenvolver e mantem os relacionamentos saudáveis e duradouros.

Fonte Villela da Matta, administradores.com.br