Comitê debate estratégias de combate ao mosquito Aedes Aegypti em Cabedelo

A Secretaria de Saúde de Cabedelo (Sescab), sob a coordenação da Vigilância em Saúde, reuniu, nesta terça-feira (29), o Comitê Gestor de Combate à Dengue, Chikungunya e Zika Virus. O encontro, que aconteceu no Auditório da Secretaria de Educação (Seduc), contou com a presença de representantes de várias secretarias municipais, que realizaram uma avaliação da situação atual dessas doenças e definiram estratégias de ações para 2016.
O Relatório de Atividades do 1º Trimestre de 2016 da Vigilância em Saúde abordou avanços e dificuldades do Plano de Contingência de Combate à Dengue, Chikungunya e Zika Virus. Iniciado em março de 2014, o Plano tem caráter continuado, de forma a adaptar-se às várias demandas e incidências causadas por outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes Aegypti.
 
O Comitê ainda definiu quais as próximas ações a serem implantadas no combate ao Aedes Aegypti. Dentre elas, destacam-se a intensificação de projetos junto às escolas (com gincanas, trabalhos e envolvimento do alunado e familiares no combate ao mosquito); o serviço de moto Fumacê; a implantação de programas de acesso domiciliar por autorização judicial; e a regulamentação de projeto de cobrança aos proprietários de terrenos das despesas com coleta de lixo e entulho. 
 
“Todos os esforços estão sendo dedicados a essa verdadeira guerra que estamos travando contra o Aedes Aegypti. Apesar das dificuldades financeiras, aos poucos, reequipamos nossos agentes, adquirimos novas viaturas e não vamos relaxar, mesmo estando dentro do índice de tolerância recomendado pelo Ministério da Saúde. O problema é de dimensão nacional e ainda temos a Gripe H1N1 para combater. Ninguém pode ficar de fora dessa luta!”, destacou o secretário de Saúde, Jairo Gama. 
 
De acordo com a coordenadora da Vigilância em Saúde, Elisete Pimentel, o Plano de Contingência tem buscado a conscientização da população para o engajamento na luta contra o Aedes Aegypti. Dentre as ações em andamento, estão a realização periódica do Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes (Lira); visitas domiciliares com controle mecânico, químico e biológico; ações educativas; realização de ações de Bloqueio, conforme indicações do Lira; controle da qualidade da água nos pontos críticos previamente estabelecidos; dentre outros. 
 
“Estamos chegando em abril e maio, historicamente os meses de maior incidência de casos suspeitos notificados dessas doenças em nossa região. Momento em que, pelo aumento das chuvas, o mosquito tende a se proliferar, exigindo de todos nós o máximo de vigilância e comprometimento em ações de combate e controle do Aedes Aegypti”. 
 
Relatório de atividades – O diretor da Vigilância Ambiental, Rodrigo Guimarães, apontou, durante a reunião do Plano de Contingência da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, as principais ações em desenvolvimento. 
 
Segundo o diretor, as estratégias mais importantes do Plano são a coleta de lixo e entulhos; o monitoramento e recolhimento de estoques de pneus usados em pontos críticos; as ações pedagógicas junto à Rede Municipal de Ensino – com projetos de engajamento do alunado; e a intensificação e o monitoramento de pontos estratégicos, como construções, terrenos baldios e áreas de difícil acesso.
 
“De 4 de janeiro a 18 de março, nossas equipes visitaram 35.491 imóveis. Destes, 11.980 estavam fechados, o que consideramos um grande desafio para o futuro. Em 276 domicílios foram tratados 744 depósitos de água, potenciais pontos de multiplicação do mosquito. Em 55 dias úteis, eliminamos 45.580 depósitos de acúmulo de água – desde cisternas, garrafas, vasilhames e embalagens vazias – , em uma média de 26,2 imóveis trabalhados por agente/dia. O esforço tem sido gigantesco, e para isso contamos com a ajuda do Exército, Corpo de Bombeiros e outros colaboradores”, detalhou Rodrigo Guimarães.
 
Secom Cabedelo